“MEMÓRIAS E REFLEXÕES SOBRE O VIVIDO, PENSADO E SENTIDO”
Texto por: Alice Vieira (Ciclo 4A vesp.), Gabriel Fernandes (Ciclo 1 mat.) e Nazaré Picanço (Ciclo 4B vesp.).

Na assembleia geral da Vivendo do dia 22 de novembro de 2017, foi decidida, por meio de votação, a reestruturação dos mecanismos avaliativos das crianças e turmas e a periodicidade dos relatórios individuais. Um dos dispositivos avaliativos que adquiriram novos contornos, diante dessa nova frequência dos relatórios individuais, foi o Diário de Bordo

A Vivendo e Aprendendo, em toda sua trajetória de trabalho psicopedagógico, sempre utilizou os Diários de Bordo como ferramenta de registro, reflexão e inspiração para a criação de projetos e construção das devolutivas sobre o desenvolvimento das crianças nos diversos aspectos (socioafetivo, cognitivo e psicomotor).

Nesse ano de 2018, sistematizaremos e ampliaremos os diários como instrumentos avaliativos de extrema importância para enriquecer os conteúdos dos atendimentos às famílias e dos relatórios.

Durante a semana pedagógica, no período de 22 a 26 de janeiro de 2018, a equipe se reuniu para uma discussão sobre os Diários de Bordo, seus possíveis formatos e objetivos esperados. Para auxiliar nossa organização e entendimento sobre esse dispositivo avaliativo, respondemos perguntas norteadoras que inspiraram nossas reflexões. Sobre o exercício do registro no diário, nos questionamos: O que registrar? Como e onde? Quando? – Discussão importantíssima para nossa construção coletiva dentro da equipe pedagógica, e que possibilitará a construção também junto com as famílias, enriquecendo nosso trabalho horizontal, dentro da Associação.

A partir do texto “DIÁRIO DE BORDO: algumas reflexões no oceano da educação” de Alexandra Rodrigues houve o consenso de que essa ferramenta pedagógica é um grande auxílio para nossa prática cotidiana. Revisitar as nossas vivências com as turmas, nos possibilita exercitar o nosso olhar e escuta para os processos de desenvolvimento das crianças e práticas docentes. Os diários de bordo nos dão uma perspectiva processual do diálogo das atividades desenvolvidas com as Áreas do Conhecimento e o Mapa do Saber.

O exercício do registro e da reflexão é essencial para o trabalho do educador e da educadora, que exige presença e sensibilidade para compreender as nuances da dinâmica da coletividade dos ciclos e da individualidade de cada criança, dentro das vivências propostas pelos princípios filosóficos da Vivendo e Aprendendo.

O formato dos diários pode ser diversificado, contendo apontamentos, textos, esquemas, fotos, vídeos, poemas, desenhos, entre outros, desde que forneça uma base sólida para acessar os eixos curriculares, os elementos do desenvolvimento infantil e os momentos valiosos vividos por cada grupo e criança, bem como refletir e reinventar novas formas de educar!

No mais, continuemos escrevendo com amor e nos permitindo criar livremente, buscando estar integralmente presentes e afinados com as linguagens de nossos corações.

Alexandra Rodrigues: Quem é?

Alexandra foi mãe-associada da Vivendo e Aprendendo e hoje é uma grande colaboradora em nossas construções pedagógicas.

Doutora em Psicologia pela Universidade de Brasília (2003), hoje é professora adjunta da UnB, atuando nos seguintes temas: escrita e subjetividade, memória educativa e formação docente, educação a distância, oficina da palavra, cultura da infância e experiências educacionais inovadoras.

Informações coletadas do Lattes em 27/11/2017

Comenta aí =)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s