Festa da Vivendo – maio 2017

Festa é na gente. Parece que é do lado de fora – nas lâmpadas, na música, nas cores, cheiros e sabores de um espaço que se ocupa quando nos reunimos.

Parece, mas não é. Festa é dentro. É quando apesar de você, amanhã há de ser outro dia – Chico já havia nos dito. É quando a gente olha ao redor e vê que o mundo anda roto – mas a esperança ainda mora em nós. É quando a gente ainda acredita no amor e desacredita no ódio.

Festa é na gente que ainda se abraça sem motivo, sorri gratuitamente, beija sem pensar. E aqui, bem dentro da gente, havia uma festa que não silenciava. A festa que nos mobiliza, nos coloca juntos para pensar, discutir um tema, conceber a decoração, preparar o nosso espaço cotidiano para receber quem sequer já veio aqui.

Foram semanas de festa na gente. Semanas de muito trabalho. Cada um fazendo a sua parte, todos juntos fazendo a parte maior: tirar a festa de dentro da gente e dividir com o mundo lá fora. A casa nossa é vossa. Venham. A festa da Vivendo e Aprendendo é essa festa na gente, quando cresce tanto que não cabe mais em nós, quando não se contenta em ficar dentro e ganha vida, convida.

Bem-vindas, bem-vindos. A festa é na gente.

Durante a festa, o fotógrafo e pai de alunas Pedrinho Fonseca registrou momentos num Lambe-Lambe improvisado. O resultado de algumas fotos estão neste álbum. E sim, o lindo texto acima também é dele.

Edital para reserva de estagiárias/os (encerrado)

Olá pessoal,

A Vivendo e Aprendendo está iniciando o processo de seleção para o quadro de reservas para estagiárias e estagiários – edição 2017.

A entrega da documentação para participação da seleção vai até o dia 28 de maio de 2017 e as condições estão estabelecidas no edital (link abaixo).

Pedimos a todos que divulguem e indiquem a potenciais interessados. Aos que participarão da seleção, desejamos sorte.

ATUALIZADO: o edital foi encerrado!

Edital para reserva de professoras/es (encerrado)

Olá pessoal,

Edital para cadastro de reserva para professoras/es edição 2017

A Vivendo e Aprendendo está iniciando o processo de seleção para o quadro de professores (as) e professores-substitutos (as) para 2017.

A entrega da documentação para participação da seleção vai até o dia 28 de maio de 2017 e as condições estão estabelecidas no edital (link abaixo).

Pedimos a todos que divulguem e indiquem a potenciais interessados. Aos que participarão da seleção, desejamos sorte.

ATUALIZADO: o edital foi encerrado!

Uma instituição transformadora

Matéria publicada por Leonardo Carneiro no Correio Braziliense em 25/04/2017
Fotos por: Pedrinho Fonseca
Link original da matéria: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/ensino_educacaobasica/2017/04/25/ensino_educacaobasica_interna,591202/programa-global-reconhece-vivendo-e-aprendendo-como-escola-transformad.shtml

A Associação cooperativa de ensino agora integra uma rede global com mais de 270 escolas transformadoras em todos os continentes. No Brasil, ela se une a outras 17 escolas e é primeira de ensino infantil a ser reconhecida.

Leonardo Carneiro

A Associação Pró-Educação Vivendo e Aprendendo entrou, desde o início de abril, na lista de instituições de ensino reconhecidas pelo Programa Escolas Transformadoras. É o primeiro estabelecimento de ensino de Brasília a se juntar a outras 17 escolas no Brasil, incluído no programa que conecta mais de 270 colégios em todos os continentes. O programa é uma iniciativa em âmbito global da organização de inovação social Ashoka e, no Brasil, o programa é realizado em parceria com o Instituto Alana, ONG que atua em defesa da infância. O principal objetivo dessa conexão é guiar a comunidade educacional brasileira para um novo olhar sobre a educação e identificar experiências de escolas comprometidas em formar jovens transformadores.

Surgida como uma associação cooperativa privada de ensino, a Vivendo e Aprendendo é hoje referência no ensino infantil de Brasília, e a primeira de educação infantil a ser reconhecida como uma escola transformadora. A associação apresenta uma proposta pedagógica baseada no pressuposto de uma educação democrática, em que se valoriza o protagonismo de cada pessoa que faz parte do coletivo, incluindo alunos, pais e funcionários. Todos são essenciais nas decisões e na gestão da associação. A cooperativa de ensino olha para o desenvolvimento integral da criança. É o que explica o coordenador pedagógico Pablo Carneiro: “nossa associação não tem dono, todas as questões financeiras, estruturais etc. são feitas por todos os integrantes, desde o profissional da limpeza, até as próprias crianças e famílias. Nossa educação é voltada para o desenvolvimento do indivíduo como pessoa e todos têm voz nas questões que lhes rodeiam”.
Leonardo Carneiro

A instituição do DF, para ser selecionada, teve que ser avaliada segundo alguns critérios que a definam como um ambiente de transformação social. O currículo da instituição deve ser voltado para o desenvolvimento integral dos indivíduos, além de considerar a sustentabilidade e apresentar estratégias para a produção de conhecimento e cultura. O ambiente físico deve proporcionar a exploração e a convivência com as diferenças e as instituições devem estimular estratégias pedagógicas que reconheçam o estudante como protagonista da própria aprendizagem. Além disso, as ações devem envolver a comunidade.

A Vivendo e Aprendendo foi o primeiro colégio de ensino infantil a se enquadrar nessas características e lançou o reconhecimento de escolas dessa etapa da educação básica para o programa. O coordenador Pablo conta que ele e os demais coordenadores do instituto passaram por um processo de avaliação para serem aceitos no programa. “Nós passamos por várias etapas de seleção. Uma delas foi um encontro e troca de experiências com uma escola comunitária do interior da Paraíba e uma escola pública de Manaus. A última etapa foi um painel de entrevistas. Fomos entrevistados por vários especialistas em educação”, conta.

Leonardo Carneiro

Um dos maiores diferenciais da Vivendo e Aprendendo, segundo colaboradores, é a resposta das crianças ao método de educação aplicado. “Às vezes, tenho que brigar com as minhas filhas porque elas não querem sair da escola. Isso é um valor porque os alunos se sentem felizes”, ressalta o arquiteto Fábio Rolin, 43 anos, pai das alunas Bruna e Marina. Esse diferencial tem reflexos também na vida pessoal das crianças, que se sentem mais conscientes de si e do mundo que as envolvem. A servidora pública Ana Vitória Piaggio, 38, mãe de Elis, reforça a afirmação: “a proposta é a criança se conhecer, olhar para dentro, e também olhar para o outro.” De acordo com a mãe, “O objetivo é formar pessoas preocupadas em transformar o mundo com a liberdade de serem quem elas realmente são. Como consequência, essa transformação atinge também as famílias. Aprendemos muito”, diz.

A Associação Ashoka é uma organização social global, formada por mais de 3 mil empreendedores sociais em 84 países. Fundada em 1981, tem o objetivo de colaborar com a construção de um mundo em que todos são agentes transformadores. A ideia é formar uma sociedade em que qualquer pessoa possa desenvolver e aplicar as habilidades necessárias para solucionar os principais problemas sociais que hoje enfrentamos.

Leonardo Carneiro

O programa Escolas Transformadoras funciona como uma rede de institutos de ensino, unidos pelo objetivo de se transformarem para transformar, apesar dos desafios e dificuldades encontrados no caminho. Dificuldades essas que servem para impulsionar a mudança da escola na sociedade e no mundo. O programa tem, ao total, 18 centros de ensino reconhecidas no Brasil que vão, coletivamente, se engajando para provocar transformações sociais mais sistêmicas. As instituições não recebem recursos diretamente, porém são feitos investimento indiretos para oferecer oportunidades de conexão a elas e dar a elas condições de espalhar esse conhecimento pelas comunidades.

Nesse caminho, os colégios são conectadas à rede e têm contato com especialistas do setor de educação, com empreendedores sociais e interagem entre si. Além de participarem de rodas públicas de debate, de conversas e outras formas de comunicação. A assessora pedagógica do Instituto Alana, Raquel Franzim, conta que “o instituto defende a escola como um espaço de transformação e liberdade, como está previsto na Constituição.” Ela aponta que, apesar das críticas, “Nós, com a Ashoka, compramos essa briga, pois não concordamos com esse entendimento conservador de que escola é um ambiente apartado da vida da criança e de que os pais são os únicos responsáveis pela educação delas”, afirma.

Em conjunto com outros pesquisadores, Raquel Franzim esteve na Vivendo e Aprendendo para observar a rotina da escola e verificar se ela se adequava aos parâmetros do programa. “A Vivendo e Aprendendo tem um perfil muito especial. Os educadores, por exemplo, são de formações muito diversas e não são somente professores ou pedagogos. Profissionais como cineastas, artistas, psicólogos e antropólogos, têm contribuições importantes para oferecer à formação das crianças”, relata a assessora do instituto Alana.

Vaga para limpeza noturna (encerrado)

O FAAP (Fórum de Aprovação, Avaliação de Progressão) da Vivendo e Aprendendo abriu edital de seleção para a vaga destinada a um funcionário de apoio que fará a limpeza noturna e auxiliará nos serviços de manutenção. A entrega de currículos vai até dia 03 de março de 2017 às 18h.

Ajudem a divulgar esta vaga e para quem irá participar: boa sorte!

O edital completo está publicado no link ao lado: EDITAL aqui!

Nossos agradecimentos

Querido apoiador,

Queremos agradecer muito o seu apoio na Campanha Vivendo Mais.

Terminamos a campanha arrecadando R$ 17.500,00. Pagaremos os custos operacionais da campanha e o restante do valor será aplicado no Ensino Fundamental da Vivendo e Aprendendo. As decisões sobre os recursos serão um processo pedagógico envolvendo as crianças do fundamental.

Foram dois meses de campanha onde recebemos apoio de vários lugares como: Brasília, Olinda, São Paulo, Vitória, Florianópolis, Rio de Janeiro, Blumenau, Salvador, Paraíba, Mato Grosso, Serrinha (Bahia) e Canadá.

Gostaríamos de agradecer um a um os apoios que vieram de tantas maneiras e jeitos diferentes. Cada recompensa oferecida ou adquirida, cada recado, aplauso e muito bem recebido, nos davam um novo fôlego. Conseguimos vivenciar, mesmo online um pertencimento, um forte espírito associativo e de amizade.

Você nos ajudou A tornar esse sonho uma realidade!!! A propósito é importante que você saiba, esse sonho já virou realidade, estamos instalados na 703 Sul, Bloco Q casa 41 e com inscrições abertas para crianças nascidas entre 01/04/2006 a 31/03/2010. Venham nos visitar!!!

As recompensas serão entregues gradativamente. Nós entraremos em contato com você para combinar a entrega dos serviços. Os produtos serão disponibilizados na secretaria da escola para aqueles que moram em Brasília ou enviadas pelo correio para as demais localidades.

Qualquer dúvida, nos colocamos a disposição.

Novamente, nossos sinceros agradecimentos, Equipe Vivendo Mais

Nomes das/os apoiadoras/es por ordem alfabética

Alden Caribé de Sousa
Alexandre Abdalla Araujo
Amanda de Oliveira
Ana Maria Gomes Mesquita
Ana Paula Diniz Nakamura
Ana Vitoria Piaggio
Anna Tavares Borges
Beatriz Louzada
Bruno Souza
Caio Dib
Carol Resende
Catia Dejuste de Paula
Celina Maria Lopes Ferreira
Clara Jane Adad
Clarissa Presotti Guimarães Carvalho
Cláudia Paes
Como é Que Tá Lá
Daniel Vassoler Paranhos
Daniela Angelo Miranda
Daniela Guimarães Goulart
Daniela Kolhy Ferraz
Daniela Peixoto Ramos
Daniella Ribeiro de Pinho
Daphne Kipman
Diana Coelho de Lima
Dulce A. Ferraz
Eduardo de Menezes da Silva
Edvard Dias Magalhães
Eliane Maria Furtado da Cunha
Elmar Andrade de Castro
Eneida Maekawa Lipai
Erica Feitosa
Ericka Silva Gomide Castanheira
Etéocles Brandão Monteiro (Téo)
Fabiano Bonfim Carregaro
Fernando de Luiz Brito Vianna
Filipe Chipe
Flávia Duarte
Flavio Beraldo
Francisco Carneiro de Filippo
Giovanni Manoel Salviano Greco
Glau Macedo
Heloisa da Veiga Coelho
Indira Arruda Castellanos
Isabel Benedetti Figueiredo
Joana Goes
Joana Regattieri Adam
João Maldos
José Geraldo Freire Coêlho
Julia Chamusca Chagas
Juliana Paiva de Aquino
Juliana Seidl
Katia Lima
Laura de Barros Lima
Laura Maria Coutinho
Leonardo Rickes da Rosa
Leticia Lengruber
Letícia Martinez
Lindomar Oliveira
Livia
Lorena Crishana Dias da Silva Pedreira
Lucas Macedo da Graça Medeiros de Queiroz
Luci Afonso
Lúcia Regina Pires Soares
Luciana Rodovalho Queiroz Senra
Ludmila Achkar Petrillo
Ludmilla Alkmim
Luís Gustavo Miranda Mello
Luiza Lima Torquato
Luz de Amor Romero Forrest
Márcia Muchagata
Maria Amelia M. Cupertino
Maria Beatriz Oswald Padilha
Maria de Barros Lima
Maria Fernanda Becker
Maria Paulina Neto
Maria Thereza Teixeira
Mariana Létti
Marina Agra Santiago
Marina Hodgson
Marina Salim Pires
Maristela Simão
Maurício Guimarães de Oliveira
Maviane Vieira Machado Ribeiro
Mônica Camasmie Dib
Mônica Padilha Fonseca
Moreno Mialski Garcia
Nara Codo
Nina Paiva Almeida
Paula Lobo Martins
Paulo César Araújo da Silva
Priscila Erthal Risi
Priscilleyne Ouverney Reis
Rafael Barbosa de Moraes
Rafael Borges Deminicis
Rafael Stucchi da Silva
Raquel Fernandes de Sousa
Ricardo Belízio Faria Senra
Roberta Sundfeld
Rodrigo Cabral
Ronaldo Rodrigues de Carvalho
Rosana Evangelista
Rut Rosenthal Robert
Sérgio Ribeiro
Simone Vendruscolo
Stella Ma Par
Taciana Neto Leme
Theo Correia Almeida
Vanessa Alves
Vanessa Cardoso Tomaz
Yanic Braga
Yasmin Carla Marchioro Silverio
Walbia Barbosa Feitosa
Zaré Augusto Brum Soares